Top
PLANEJE A SUA VIAGEM

Kathmandu no Nepal – O que fazer, dicas e roteiro de viagem

Kathmandu no Nepal - O que fazer, dicas e roteiro de viagem

Kathmandu no Nepal é uma das cidades mais interessantes do mundo e surpreende os visitantes com a sua história, religiosidade, contrastes e uma atmosfera deliciosamente caótica.

Há quem ame e há quem a considere uma cidade de passagem rápida no caminho para os Himalaias. Mas, uma coisa é certa: é somente explorando-a que você poderá conhecer as peculiaridades de Kathmandu e assim poder tirar as suas próprias conclusões, as quais espero que sejam tão positivas quanto as minhas!

Kathmandu é a capital do Nepal e foi recentemente considerada uma das cidades com maior índice de crescimento na Ásia pelo Banco Mundial.

Localiza-se no centro do Nepal e a 1 400 metros de altitude e dispõe de sete Patrimônios da Humanidade da Unesco espalhados pela cidade e pela região do Vale do Kathmandu.

Apesar de super populosa e urbana (3 milhões de habitantes), Kathmandu conserva muitos dos seus antigos templos e construções medievais, os quais testemunharam o desenrolar histórico super complexo e conturbado do Nepal e que conferem à atual Kathmandu uma atmosfera misteriosa e culturalmente rica.

Não posso negar que Kathmandu é intensa em todos os sentidos e repleta de estímulos sensoriais por todos os lados. Contudo, é exatamente isso que a torna tão intrigante e maravilhosa e que me fez ficar fascinada desde o primeiro minuto por lá.

Mas, não se engane, Kathmandu também tem uma faceta bem tranquila (especialmente em comparação com a Índia, o país que visitamos antes de Nepal e sobre o qual já escrevemos todas as dicas) e as pessoas são em sua maioria honesta e confiáveis, e tratam os visitantes com cordialidade.

E acredito que as pessoas que discordam dessa opinião talvez não tenham se permitido entender Kathmandu pelo que ela é e se apegaram às primeiras impressões da cidade, que podem ser sim, bem intensas e avassaladoras.

Por isso, se estiver pensando em visitar Kathmandu, sugiro que não se deixe tomar pelas primeiras impressões e que continue curioso e com o coração aberto para as suas peculiaridades e garanto que vai também se encantar com a cidade.

De minha parte, posso afirmar que Kathmandu me encantou e surpreendeu demais com a simpatia do seu povo, arquitetura única e história fascinante, e atualmente figura entre as minhas cidades prediletas no mundo.

LEIA TAMBÉM: Todos os posts já publicados no blog sobre o Nepal

 

COMO CHEGAR

EM KATHMANDU

CHEGAR EM KATHMANDU DE AVIÃO

O único aeroporto internacional do Nepal está situado em Kathmandu, o qual recebe voos de cerca de 30 companhias aéreas trazendo viajantes de todo o mundo para o país. Mas, apesar da grande oferta de voos internacionais, não há voos diretos saindo do Brasil para o Nepal e por isso será necessário fazer pelo menos uma escala para chegar lá.

As melhores opções de conexão para uma viagem prática e rápida saindo do Brasil são:

Via Istambul com a Turkish Airlines

Via Dubai, Emirados Árabes ou Qatar com a Emirates ou Qatar Airways

Via Europa com diversas companhias aéreas

Via Delhi ou outras cidades na Índia

Pesquise aqui a sua passagem aérea e confira os descontos para leitores do site.

Atualmente, o aeroporto internacional de Pokhara está sendo construído e a expectativa é que entre em funcionamento em 2021 ou 2022.

As passagens aéreas entre o Brasil e o Nepal vão custar cerca de 5 mil reais por pessoa, mas é possível encontrar promoções aéreas bombásticas por cerca de 3 mil reais de vez em quando (e para isso sugiro que fique atento aos sites Melhores Destinos e Passagens Imperdíveis que publicam dicas de promoções em tempo real).

E se preferir fazer esta viagem de forma mais econômica, pode fazer uma parada estratégica no meio do caminho e de lá voar para o Nepal. É possível, por exemplo, combinar uma ida para Europa, Índia ou Sudeste Asiático de lá voar para o Nepal a preços acessíveis. E dessa forma, fazer uma viagem dupla maravilhosa 🙂

Via de regra, os voos mais baratos para o Nepal saem da Índia, Bangkok na Tailândia, Hong Kong, Dubai e Kuala Lumpur. E sendo assim, você pode encontrar passagens para estes destinos e de lá voar para o Nepal de forma econômica com as companhias Air Arabia, Air Asia, Air China, Etihad Airlines, Fly Dubai, Jet Airways, Malaysia Airlines, Oman Airlines, Qatar Airways, Silk Air and Thai Air.

VIAJE CONECTADO: Confira aqui os melhores pacotes de internet e ligações para viagens internacionais e compre com 10% de desconto usando o código 

 

CHEGAR EM KATHMANDU POR VIAS TERRESTRES

Os voos internacionais são a forma mais comum de chegar no Nepal, mas não é incomum chegar no país por vias terrestres vindo dos países vizinhos Índia, Butão ou Tibet.

Saindo da Índia há ônibus disponíveis de Varanassi cruzando pela fronteira Sunauli-Bhairawa, de Patna cruzando a fronteira Raxaul-Birganj, de Delhi cruzando a fronteira Banbassa-Mahendrenagar e de Lucknow no norte do país cruzando a fronteira Bahraich-Nepalganj. Há trens entre a Índia e o Nepal, mas somente nacionais destes países podem fazer essa viagem pelas vias ferroviárias.

Outra opção é fazer a viagem entre estes países de carro, seja em excursões particulares ou em grupo e você pode conferir as opções disponíveis clicando aqui ou consultar operadoras turísticas especializada em tours pelos Himalaias.

LEIA TAMBÉM: post sobre por que você deve visitar o Nepal, com uma perspectiva inspiradora sobre viagens ao país.

 

CHEGADA NO AEROPORTO

VISTO, SIM CARD, TRANSPORTE E MAIS

Ao desembarcar no aeroporto de Kathmandu, você precisará obter o seu visto “on arrival” para ter o direito de entrar no país. Mais informações resumidas podem ser encontradas no tópico a seguir, mas você pode consultar o passo a passo completo neste post aqui.

Depois de passar pela imigração e coletar a sua bagagem, a melhor ideia é sacar algumas rúpias nepalesas nas maquininhas de ATM e ter algum cash para as primeiras despesas. Lembre-se que você pode usar dólares americanos para pagar por quase tudo no Nepal, mas as conversões serão sempre desfavoráveis ao seu bolso!

Depois, pode adquirir o seu chip com dados de internet no hall de desembarque do aeroporto com uma das duas companhias telefônicas do país, a Ncell e Nepal Telecom que têm balcões de atendimento do lado uma da outra no aeroporto.

A Ncell possui a melhor cobertura nos parques nacionais do Nepal e portanto é a melhor companhia para quem pretende desbravar as montanhas do país conectado com a internet.

Dicas de viagem de Kathmandu

Vai precisar apresentar o seu passaporte e uma foto 3×4 (se não tiver uma disponível pode pagar 0.5 USD para que eles tirem uma na hora), assim como o formulário de registro preenchido. Os valores dos planos variam de acordo com a duração e total de dados contratados e você poderá fazer o pagamento com rúpias nepalesas ou cartões de crédito.

E para sair do aeroporto, indicamos que use o serviço de taxis, sejam eles pré pagos ou com taxímetro, pela praticidade e preço razoável. Espere pagar entre 600 a 900 rúpias nepalesas, o que equivale a 5 a 8 dólares americanos. Mas, se preferir utilizar o transporte público ao sair do aeroporto de Kathmandu você pode consultar este post completíssimo sobre o assunto.

 

VISTO PARA O NEPAL

INFORMAÇÕES PRÁTICAS

Brasileiros e Portugueses precisam de visto para entrar no Nepal, e a boa notícia é que você pode obter o seu de forma simples e prática na chegada ao país, seja no aeroporto ou uma das fronteiras terrestres.

Em resumo, você deve levar consigo um passaporte com validade de pelo 6 meses contando da data da chegada ao Nepal, preencher o formulário eletrônico na chegada ao país, fazer o pagamento da taxa e obter o seu visto de entrada com os oficiais de imigração.

PASSO A PASSO COMPLETO: Já explicamos em detalhes o processo de obtenção do visto do Nepal e você pode conferir todos os detalhes clicando aqui.

O valor do visto do Nepal varia a depender da duração da sua viagem. E os preços atualizados para 2020 são:

O visto de até 15 dias custa 30 dólares americanos

O visto de até 30 dias custa 45 dólares americanos

E o visto de até 90 dias custa 110 dólares americanos

Note que todos os vistos do Nepal são de múltipla entrada e você pode sair e entrar do país pela extensão do visto que recebeu.

O pagamento pode ser feito com cartão de crédito, dólares americanos e outras moedas internacionais, como EUR, CHF, GBP, AUD, CAD, HKD, SGD, and JPY. É também possível fazer o pagamento com cartões de crédito, mas frequentemente as maquininhas ficam fora do ar, por isso, é altamente recomendável levar alguma das moedas aceitas para fazer o pagamento do visto sem problemas!

Embora o seguro viagem não seja obrigatório, é altamente recomendável contratar e viajar sem preocupações.

DESCONTO PARA LEITORES: Faça aqui a cotação com as melhores seguradoras do mercado e garanta desconto de 5%

 

QUANDO VISITAR KATHMANDU

MELHORES MESES

Quando visitar o Nepal

A melhor época para visitar o Nepal é entre Outubro e Dezembro, quando o índice pluviométrico é baixo, as temperaturas são agradáveis e a visibilidade do céu é favorável. Esta é, também, a melhor época para as caminhadas nas montanhas por todo o Nepal e, consequentemente, o período de maior movimento turístico no país.

A clima continua seco até Abril, mas as temperaturas descem consideravelmente em Janeiro e Fevereiro, sendo que se você estiver preparando uma viagem nesta época, deve preparar roupas adequadas para o frio das montanhas. E se você preferir evitar o pico turístico, pode viajar na estação intermediária que se estende entre Janeiro a Abril, quando o país oferece clima favorável, tranquilidade e preços mais baixos.

Em Maio o calor e a umidade começam a subir e em Junho o regime de monções chega encobrindo as montanhas com nuvens e trazendo muita chuva por todo o país. E neste período é desaconselhável viajar para o Nepal, tendo em vista a falta de infraestrutura do país para lidar com as monções e a alta possibilidade de cancelamento de trilhas nas montanhas.

LEIA TAMBÉM: Todos os posts de dicas de viagem sobre o Nepal e se encante por este país magnífico!

 

O QUE FAZER EM KATHMANDU

ROTEIRO COMPACTO DE 2 A 3 DIAS

 

O que fazer em Kathmandu

Antes de falar em detalhes sobre as atrações imperdíveis de Kathmandu e do Vale do Kathmandu, vale a pena destacar alguns detalhes que valem a pena saber, especialmente para quem visita a cidade pela primeira vez.

O trânsito de Kathmandu é caótico e engarrafado, mas vale a pena utilizar os serviços de taxi para deslocamentos mais longos. Sempre negocie o valor antes de embarcar e deixe claro que você quer fazer a viagem com o ar condicionado ligado (os motoristas geralmente cobram taxa extra por isso e só vão te falar depois que você entrar no taxi ao cobrar alguns dólares a mais). Para os deslocamentos no centro de Kathmandu, prefira a boa e velha caminhada ou tuk tuks pilotados por locais.

Apesar de Kathmandu ser uma cidade intensa, poluída e barulhenta, ela é mais surpreendente do que você pode imaginar. Por isso, explore-a com o coração e mente abertas e certamente descobrirá uma cidade deliciosa e única, que merece ser vista com olhos curiosos e não julgadores 🙂

Preparados para descobrir as atrações turísticas de Kathmandu?

 

O que fazer em Kathmandu

VISITAR AS DURBAR SQUARES

As Durbar Squares são classificadas como Patrimônios da Humanidade pela UNESCO e representam complexos históricos que compreendem templos, estátuas, jardins e palácios reais. Estas praças possuem imensa carga histórica e sem dúvidas devem estar em seu roteiro de viagem.

São três as Durbar Squares no Vale do Kathmandu: a Kathmandu Durbar Square, a Patan Durbar Square e a Bhaktapur Durbar Square, sendo as duas primeiras as mais visitadas.

A Durbar Square de Kathmandu está localizada no centro da cidade, bem próxima ao distrito de Thamel, e surpreende com seus templos Hinduístas e Budistas assim como o Palácio Real e sua estrutura interna que compreende jardins, estátuas e fontes.

O que fazer em Kathmandu

As atrações mais interessantes são o Templo Jagannath com suas esculturas eróticas, o Hanuman Dhoka antigo palácio real, Kal Bhairav com a imagem colorida de Shiva e o Kumari Ghar o local onde a Kumari (garota selecionada para servir como divindade feminina da cidade) vive.

Infelizmente, as magníficas pagodas de madeira construídas no estilo tradicional Newari do exterior da praça foram bem afetadas pelo terremoto de 2013, mas ainda assim é possível visitar ou apreciar o que restou delas. Apesar de estar situada no meio da cidade, visitantes internacionais precisam pagar entrada de 10 dólares americanos para circular por lá.

As outras Durbar Squares estão situadas em Bhaktapur e Patan, afastadas do centro de Kathmandu e situadas no Vale do Kathmandu. Ambas merecem a visita e podem ser combinadas em um dia de exploração do vale em um roteiro incrível que pode ser feito com agências de turismo especializadas.

Nos arredores da Durbar Square de Kathmandu você também pode visitar o Templo Taleju, um dos locais religiosos mais importantes para o Hinduísmo no Nepal. Não é possível visitar o interior do templo, mas se pode apreciar a beleza das estruturas tradicionais de madeira no exterior do complexo.

 

EXPLORAR O THAMEL E O CENTRO DA CIDADE A PÉ

O Thamel é o bairro mais turístico de Kathmandu e um lugar absolutamente diferente de tudo que você já viu ou verá pelo mundo. As milhares de vendinhas expondo todos os produtos que se pode imaginar se combinam com restaurantes, bares, livrarias e agências de turismo e o movimento de locais e turistas pelas suas ruelas é sempre intenso.

Prepare-se para abordagens incessantes dos vendedores e explore a região sem roteiro definido e com curiosidade acima de tudo e se encantará pela diversidade e contrastes de Kathmandu. Uma coisa é certa, vai ver inúmeros templos de tamanhos e estilos diferenciados e encontrar muito mais do que imaginou e se encantar por esta cidade que é única, vibrante e exala religiosidade por todos os cantos.

O que fazer em Kathmandu
Roteiro em Kathmandu

Se tiver interesse em fazer compras em Kathmandu pode visitar os mercados de rua Ason Bazaar e Mangal Bazaars, além de explorar o distrito de Thamel e suas inúmeras lojinhas de souvenirs e produtos de trilhas.

 

TEMPLO PASHUPATINATH E CERIMÔNIA DE CREMAÇÃO

Uma das experiências mais marcantes que tive no Nepal – e por que não dizer em toda a minha trajetória de viajante – foi assistir à uma cerimônia de cremação no Templo Pashupatinath em Kathmandu.

Sim, não há como negar que é impactante ver de perto corpos sendo queimados e entendo perfeitamente que esta não é uma experiência para todos e que muita gente se sentirá extremamente desconfortável. Porém, em minha perspectiva, a beleza do ritual, suas cores, cânticos e acima de tudo a participação dos familiares no processo de cremação foi algo tocante e lindo de se ver.

LEIA TAMBÉM: Relatos pessoais e dicas práticas para assistir a cerimônia de cremação em Kathmandu

O que fazer em Kathmandu

Para mim, assistir à cremação foi uma oportunidade de expandir a consciência e o respeito acerca da diversidade do mundo e de deixar para trás pré conceitos firmados durante a vida. Foi um momento de relembrar o motivo pelo qual viajo e de me tornar ainda mais curiosa pelo diferente e pelo que ainda não sei. Indico demais a qualquer viajante curioso!

A visita ao Templo Pashupatinath é imperdível e de preferência deve ser feita às 17:30 para ter tempo de explorar o complexo antes da cerimônia de cremação que ocorre Às 18:30 todos os dias. Há uma tarifa de 1200 rúpias nepalesas para entrar no complexo e é aconselhável vestir-se de forma modesta, tendo em vista tratar-se de um local religioso.

 

VISITAR O SWAYAMBHUNATH, O TEMPLO DOS MACACOS

Desde o século 5, o Templo Swayambhu é considerado um dos mais importantes complexos religiosos do Nepal. Por lá, espere encontrar stupas, templos e vistas maravilhosas de Kathmandu e do vale, além de uma atmosfera de paz sem igual.

Situado no topo de uma colina, é necessário subir 365 degraus para chegar no seu topo e no caminho será abordado pelos diversos macacos residentes desta área em busca de petiscos e também de qualquer coisa que possam encontrar facilmente na sua bolsa ou bolso (todo cuidado é pouco com esses pequenos meliantes do reino animal :)). São tantos que o templo passou a ser comumente chamado do Templo dos macacos!

E o complexo engloba templos e monumentos religiosos da Budismo e Hinduísmo em perfeita harmonia. Também é possível visitar o mosteiro tibetano, a biblioteca e o museu de Swayambhunath. E a stupa se destaca como a mais importante estrutura do local, sendo que o seu domo representa a terra e o topo com 13 anéis os estágios de nirvana.

Para chegar lá você pode fazer uma corrida de táxi do centro da cidade por cerca de 4 dólares americanos ou pegar o micro-ônibus que sai de Sorhakhutte por cerca de NPR 20,00 por pessoa.

E no caminho de ida ou de volta vale a pena passar no Amideva Buddha Park que fica nos pés da colina do Templo Swayambhu e que conta a maior estátua de Buddha de todo o país. A entrada é gratuita e sem dúvidas vale a pena explorar o local!

 

BOUDHANATH STUPA

O templo Boudhanath representa o templo budista mais sagrado do mundo fora do Tibet e é uma atração imperdível para quem quer experienciar a religiosidade do povo Nepalês.

Classificado como Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, o local conta com uma das maiores stupas do mundo, além de monastérios budistas que entoam cânticos praticamente o dia todo e deixam a atmosfera do local ainda mais mágica. Você vai se impressionar pela imponência do complexo e pela beleza da religiosidade do povo Nepalês.

A Stupa Boudhanath está situada a 11 km do centro de Kathmandu, mas pode ser facilmente acessada com uma rápida corrida de táxi por cerca de 4 dólares americanos ou com o micro-ônibus que sai da rua Jamal Sadak e leva até o local por cerca de NPR 25,00 por pessoa.

 

GARDEN OF DREAMS

O Garden of Dreams é um paraíso silencioso e lindo situado no centro de Kathmandu. Um local perfeito para fazer uma pausa relaxante quando o caos da cidade subir à cabeça.

Construído em estilo neoclássico e com clara influência da arquitetura européia, este jardim é um ponto de encontro de casais apaixonados, grupos de jovens e também de turistas curiosos. Você pode fazer uma parada estratégica no Restaurante Kaiser para uma bebida fresca ou refeição bem preparada!

A entrada do parque custa NPR 400 e você pode ficar lá o dia todo com o seu ticket.

Garden of dreams em Kathmandu

 

O QUE FAZER

NOS ARREDORES DE KATHMANDU

 

SOBREVOAR O MONTE EVEREST

Quem nunca sonhou em ver de perto o Monte Everest? Avistar esta mítica montanha está na lista dos sonhos de todo e qualquer viajante inveterado, mas a verdade é que a trilha até o topo é para poucos tendo em vistas os custos altíssimos da excursão e a necessidade de treinamento prévio para chegar lá.

Mas, a boa notícia é que é possível admirar a vista das incríveis montanhas dos Himalais assim como o Monte Everest de forma prática e segura: em um voo panorâmico que sai do aeroporto de Kathmandu e leva os viajantes para uma belíssima aventura nos céus!

O voo tem duração de 1 hora e custa cerca de 150 dólares por pessoa. É necessário fazer a reserva com antecedência clicando aqui, já que esta é uma atração extremamente popular no Nepal!

 

VISITAR O MONASTÉRIO NAMOBHUDDA

O monastério na verdade é formalmente chamado de Thrangu Tashi Yangtse Monastery, mas Namo Buddha é a forma como o qual é conhecido na região.mSituado no topo de uma montanha, rodeado pelas cadeias montanhosas mais incríveis do mundo, o Namo Buddha tem uma localização privilegiada e surpreende qualquer viajante que se aventura por lá pela sua beleza e isolamento.

O Namo Buddha é um daqueles lugares que se encaixam perfeitamente na ideia romantizada que se tem do Nepal, de completa paz, com monges de vestimentas em cor vinho aprendendo e praticando suas crenças em locais sagrados e rodeados pelas montanhas com picos nevados dos Himalaias.

LEIA TAMBÉM: Post completo sobre nossa experiência no Namobhudda

O que fazer em Kathmandu no Nepal
O que fazer nos arredores de Kathmandu

O lugar é segredo bem guardado pelos viajantes de todo o mundo e que não aparece na maioria das pesquisas sobre dicas de viagem no Nepal. E a sua anonimidade é um dos motivos que tornam a experiência de visitar esse monastério tão especial e única. É um daqueles clichés irresistíveis de viagem que marcam para sempre a nossa memória!

É possível visita-lo como um bate e volta saindo de Kathmandu ou até mesmo passar uma noite por lá na Guesthouse do mosteiro e vivenciar de perto a rotina dos monges. Os quartos são simples e custam 1500 NPRs, ou 50 reais por pessoa, incluindo café da manhã, almoço e jantar e o valor precisa ser pago em dinheiro.

 

EXPLORAR O VALE DO KATHMANDU

Quem pretende visitar as montanhas do Nepal acaba deixando de lado o Vale do Kathmandu, que é uma região com belíssimas paisagens e onde se pode observar de perto a rotina pacata dos locais.

Por lá, é possível avistar as montanhas, fazer trilhas variadas, visitar mosteiros budistas e entrar em contato com a cultura local.

As melhores cidades a serem visitadas são Bhaktapur, Patan, Bungamati, Khokana, Panauti e Nagarkot.

Trilhas em Kathmandu no Nepal

Tanto Bhaktapur e Patan possuem importantes Durbar Squares classificadas como Patrimônios da Humanidade pela UNESCO e que englobam templos, estátuas, jardins e palácios reais e uma imensa carga histórica narrando as fases da história do país e o desenvolvimento do Vale do Kathmandu. Vale a pena fazer passeios guiados ou até mesmo contratar guia com motorista privado e tirar o melhor proveito destas atrações.

É também possível fazer trilhas curtas como a Phulchowki Hike saindo de Godawari, a Chisapani Hike, a trilha entre Chisapani a Nagarkot e Champadevi Hike. Todas essas trilhas podem ser feitas de forma independente, mas você também pode contratar um guia local e assim ter uma experiências mais assistida.

 

PASSAR PELO MENOS UMA NOITE NO DWARIKA RESORT NAS MONTANHAS

O Dwarika Resort é mais do que um hotel, é uma atração de viagem por si só e surpreende pela fantástica vista das montanhas, pelo serviço sem igual e pela proposta holística e atividades maravilhosas disponíveis aos hóspedes.

Tivemos a oportunidade de passar duas noites neste retiro fantástico no Vale do Kathmandu e indicamos demais a experiência. É um hotel perfeito para casais e todas as atividades, como yoga, meditação, consulta com médico ayurveda e muito mais estão inclusas na diária!

Vale a pena passar duas ou três noites por lá e relaxar por completo! Leia a review completa da nossa estadia no Dwarika Resort aqui.

Hotéis em Kathmandy

 

ONDE FICAR EM KATHMANDU

MELHORES HOTÉIS E AIRBNBS

Onde ficar em Kathmandu

Kathmandu tem uma oferta enorme de acomodações e opções adequadas para todos os tipos de viajantes e orçamentos com tarifas médias entre 15 a 50 dólares para duas pessoas, podendo variar a depender do conforto e localização. Para conferir todas as opções no Booking.com e reservar com cancelamento gratuito clique aqui.

A maioria dos hotéis está localizada na região centra da cidade, especialmente no bairro de Thamel, o qual é extremamente popular entre mochileiros, montanhistas e turistas em geral e por vezes já foi considerada o epicentro mochileiro do mundo! Mas, há outras regiões mais tranquilas e também convenientes para se hospedar na cidade e região do vale do Kathmandu como Lazimpat, Patan e Bhaktapur.

A seguir, você vai encontrar uma lista das melhores opções em diferentes categorias de orçamento:

 

 

Outra opção bastante comum é utilizar o Airbnb e reservar apartamentos charmoso em Kathmandu com serviço impecável e por um valor médio de tarifa de 50 dólares por casal ou muito menos! Utilizando o link do blog pode fazer a sua reserva com R$ 200 de desconto na primeira reserva 🙂

 

ONDE E O QUE COMER EM KATHMANDU

MELHORES RESTAURANTES

Onde comer em Kathmandu

Antes de indicar alguns dos melhores restaurantes que se pode visitar em Kathmandu, vamos focar no que se deve comer em sua visita ao Nepal. E para começar, não poderíamos mencionar outro prato típico que não os famosos e deliciosos Momos, que são dumplings com recheios variados e apreciados por todos o país!

A culinária do Nepal é em regra bem leve e focada em alimentos orgânicos e frescos. Grãos e legumes são dominantes em todas as receitas e há pratos típicos específicos de cada região do país que devem ser experimentados em uma viagem ao Nepal.

Os pratos são geralmente servidos com pequenas porções de diferentes alimentos nos arredores das bandejas e a etiqueta é misturar tudo no meio e comer de mão mesmo. Uma experiência fantástica e imperdível!

Restaurantes em Kathmandu
Onde comer em Kathmandu

Alguns dos melhores restaurantes de comida típica Nepalesa em Kathmandu são o: Yangling, Thakali Kitchen, Silauta Restaurant e o Newa Momo.

Para uma experiência sofisticada e inesquecível, visite o Krishnarpan, o restaurante especializado na comida Nepali do Dwarika’s e eleito pelo Tripadvisor como melhor restaurante de Kathmandu. O jantar vai além dos pratos servidos e é uma atração em si para quem visita Kathmandu, com explicação de cada uma das receitas, suas origens e temperos!

LEIA TAMBÉM: A review completa de nossa estadia no Dwarika e experiência no restaurante Krishnarpan

Restaurantes em Kathmandu

É possível escolher menus de seis a vinte e dois pratos que são preparadas com os legumes mais frescos das próprias fazendas do Dwarika. A experiência começa ao receber um menu personalizado e ser guiado pelos pratos, que praticamente representam uma viagem pelo Nepal, sendo representantes de diversas áreas do país, com características próprias e únicas de cada terreno.

Experimentamos o menu de 6 pratos e confesso que foi mais do que suficiente, já que as porções são muito boas e apetitosas. Não hóspedes também podem aproveitar do jantar, sendo que reservas são necessárias e podem ser feitas através do telefone + 977-1-4479488, 4470770 ou email do hotel info@dwarikas.com.

 

NÃO SE VÁ! Leia também os outros posts sobre o Nepal

Arquivado em: Kathmandu, Nepal, Roteiros de viagem
 

Agradecemos muito se organizar a sua viagem com links abaixo (com descontos!), pois vai incentivar o blog com uma pequena comissão sem pagar nada a mais por isso. Obrigada desde já!

ㅤHOTEL: Reserve com tarifas diferenciadas com a Booking.com

ㅤAIRBNB: Cadastre-se e ganhe R$ 190 de bônus no Airbnbpara usar na primeira reserva - é totalmente grátis!

ㅤSEGURO VIAGEM: Pesquise com a Real Seguros e também com a Seguros Promo (5% com o código "OMUNDOEPEQUENO5"!)

ㅤINGRESSOS: Evite filas com ingressosda Get Your Guide ou com a Ticketbar

ㅤALUGUEL DE CARRO: Cote com a Rental Cars e também com a Rent Cars e conte com assistência em português

ㅤINTERNET: Chip internacional com a Viaje Conectado (15% de desconto com o código "omundoepequenoparamim") e também com a Easysim4u

ㅤPASSAGEM AÉREA: Passagens aérea com tarifas imperdíveis com a Passagens Promo

 

LEIA TAMBÉM...

Lara Nogueira

Sobre Lara Nogueira

No blog, Lara une a sua paixão por viajar com a de escrever. Seus relatos têm o objetivo de fazer os leitores viajarem (antes mesmo de sair de casa) através de um estilo único de narração que invoca os sentimentos e sentidos, combinada com dicas úteis e imagens dos destinos que visita.

Sua curiosidade e fascinação pelo novo fazem com que esteja sempre em busca de experiências únicas. Não é a toa que deixou a calorosa Bahia para chamar Estocolmo na Suécia de lar!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

SUPER


descontos

Reserve a sua viagem utilizando os nossos descontos exclusivos!
EU QUERO!